quarta-feira, 24 de outubro de 2012

"Me despeço, já sem aquela dor aterrorizante, das partes de você que mais amo.  Ainda que nada disso seja amor. E entro no carro já sem chorar. Os últimos meses chorando por você serviram ao menos para me secar por dentro.
 Meus amigos espalmam a mão na minha cara e já vão logo adiantando que se eu pronunciar seu nome, eles vão embora sem nem olhar para trás. Preciso me aliviar. Mas dou até risada porque acabaram os caminhos. O mundo não suporta mais esse meu  amor por você."